Alguns tipos de investidores

São inúmeros, e as diferenças se encontram nas preferências de cada um. Em outras palavras, todos buscam o maior número possível de referências, mas, conforme o perfil de cada um, há sempre uma tendência a se utilizar esse ou aquele tipo de análise – ou simplesmente confiar no famoso ‘feeling’ pessoal.

Qual é o perfil ideal de investidor?

Particularmente, acredito que o perfil ideal é aquele que abrange um pouco de todas as análises. Por exemplo, confiar apenas no traçado dos gráficos apontando concentração de compradores ou de vendedores pode ser bastante falho em uma semana com indicadores econômicos desfavoráveis.

Assim como acreditar cegamente em dados favoráveis e ignorar indicadores que apontam exaustão de força compradora ou vendedora pode ser um ledo engano. O mercado nem sempre respeita a lógica das notícias e um bom resultado de determinado segmento da economia pode se tornar um bom motivo para uma substancial realização.

Outro exemplo: há aqueles investidores que operam com base no seu ‘feeling’ pessoal – em detrimento, por exemplo, de uma agenda desfavorável, ou de sinalizações grafistas pouco animadoras e até mesmo dos fundamentos da empresa. Em geral, este tipo de operador faz trades curtos se beneficiando de determinadas circunstâncias.

Correções de preço muito fortes já são suficientes para atrair day traders para os papéis descontados – sem nenhum tipo de análise dos fundamentos. Em geral, uma mera avaliação técnica de suportes e resistências com objetivos curtos e stops armados. Estes são os caçadores de oportunidades de curto prazo.

O oposto aos mencionados anteriormente são os investidores de longo prazo, que costumam se embasar nos fundamentos das empresas e em suas projeções de lucro sobre o preço do papel, distribuição de dividendos, dentre outros aspectos. Estes costumam aguardar anos – até mesmo décadas – visando retornos bastante robustos.

Os que visam o longo prazo, em sua maioria, são compradores de papéis de empresas de grande liquidez na bolsa, a exemplo de Petrobrás, Vale do Rio Doce, Usiminas, Gerdau, Itaú Unibanco, dentre outros. Boa parte sequer aplica diretamente nessas ações, preferindo os fundos de ações disponibilizados pelos bancos.

O mais crucial

O crucial para uma boa rentabilidade no mercado financeiro é se adaptar às circunstâncias que surgem diante de nós. As bolsas acompanham os ciclos econômicos dos países e são grandes precificadoras de problemas e êxitos futuros. Dessa forma, é possível com relativa precisão fazer antecipações aos seus movimentos.

A estratégia mais eficiente é, sem dúvida, estar sempre bem informado sobre política, economia e outros assuntos, além de sempre ter em mãos relatórios fundamentalistas e econômicos, e lançar mão de análises gráficas de momento para decisões acertadas de operações com riscos minimizados. É surfar a onda e saltar antes que ela quebre.

Author: bloquedoda&J9$Og$G9

Share This Post On

Envie seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *